Se você sabe o peso que a marca Mappin teve nas décadas de 80 e 90, ou se pelo menos já ouviu falar neste nome, é provável que saiba que a rede de lojas de departamento foi um sucesso entre muitos paulistanos desde sua chegada a cidade em 1913. Entretanto, você sabia que a Mappin foi a marca propulsora de crediário e preços nas vitrines?

Inovadora numa época onde o varejo estava ainda a ganhar força, as lojas Mappin criaram o conceito primário de shopping center, afinal, na suntuosa loja da Praça Ramos de Azevedo, cinco andares ofereciam variados produtos que iam desde roupas a objetos de decoração e utensílios domésticos.

Trazida ao Brasil a princípio como uma loja de luxo destinada as mais altas classes paulistanas, a Mappin teve de se render a um público mais popular, uma vez que nesta época o Brasil como um todo vinha passando por uma forte crise.

Mantendo-se firme por décadas, a rede de lojas de departamento Mappin tornou-se um ponto de referência de encontro para paulistanos no centro da cidade, entretanto, tal sucesso viu um fim inesperado em 1999 quando a rede de lojas fechou seus portões declarando a falência da loja que viria a ficar marcada na memória de muitos paulistanos deixando no ar uma nostalgia.

Entretanto, ninguém poderia prever que no ano de 2009 a icônica rede de lojas Mappin viria a ser comprada num leilão judicial com o intuito de ser restituída ao mercado de varejo, porém em ambiente digital. Adquirida pelo empresário e CEO da Marabraz Abdul Hadi Fares por um valor de R$5 milhões, a Mappin volta agora no ano de 2019 como um e-commerce.

Oferecendo em seu estágio inicial um catálogo com mais de 15 mil produtos, que assim como a antiga Mappin variam em categorias, o e-commerce Mappin dirigido agora pela Blue Group e pelo empresário Abdul Fares traz também uma linha exclusiva de móveis funcionais, onde o preço e estética das mobílias comprovam a qualidade da nova Mappin.

Sobre planos para o futuro da marca, o empresário Abdul Hadi Fares comenta que pretende até o fim deste ano fechar parcerias com grandes empresas e lojas a fim de tornar o –ecommerce num Marketplace com mais de 500 mil produtos a disposição dos clientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui